Uma novela mexicana que você vai querer ler

Isso mesmo, mas essa não foi escrita por mexicanos no México. Na verdade, é um pouco mais complicado que isso.

Ok, mentira, não é não, então vamos lá: hoje falarei sobre uma saga que existe desde 1996 nos Estados Unidos que, segundo rumores, está vindo apenas esse ano para o Brasil (não achei confirmação sobre isso, mas é o que dizem).

Falarei especificamente sobre o primeiro volume desta saga, que adquiri recentemente. Só para constar, a saga é marcada para ter 7 livros no total, sendo que o quinto está para ser lançado.

Ah!, eu já ia esquecendo. O nome da saga é A Song of Ice and Fire, e o volume na qual falarei neste post se chama A Game of Thrones. Juntando tudo temos A Song of Ice and Fire Vol. 1 – A Game of Thrones.

Sim, eu gosto de livros com nomes grandes, mas enfim, vamos começar sobre os pontos básicos do livro.

Por quê raios é uma novela mexicana? Resposta simples: o livro todo é centrado em conflitos de poder entre o rei e seus súditos. Não se enganem porém, é tudo muito interessante.

O livro passa uma boa idéia de como funcionava os conflitos por poder durante a Idade Média (e antes dela, e depois também). Para entender isso, vamos falar um pouco sobre o modo de narração do livro…

Toda história é contada do ponto de vista dos personagens principais, dividida em capítulos que acontecem sequencialmente. Em outras palavras, temos o personagem X narrando algo, aí o capítulo termina (sempre com um cliffhanger que te faz querer continuar lendo), e o próximo começa, partindo de onde o anterior parou, mas seguindo com o ponto de vista do personagem Y, que muitas vezes está muitos quilômetros de distância do personagem X, ou vivendo os acontecimentos ao lado dele. A idéia que se tem é de uma história em um filme acontecendo na sua frente, mostrando partes de coisas e personagens que no final se encaixam como um belo quebra-cabeças. É simplesmente brilhante (na minha humilde opinião, obviamente).

Quem são os personagens? Bem, antes disso, vamos fazer um pequeno tour pelo mundo desta história para depois falar sobre cada um.

Um tour pela Cidade do México.

Ok, mentira (ou quase). O continente onde a maior parte da trama se desenvolve é chamado de Westeros, e lá se encontram os Sete Reinos. O único que vale a pena mencionar (e que é o maior de todos) é o mais ao norte, conhecido por Winterfell. Os outros, incluindo a capital onde o rei se encontra, ficam na porção sul deste continente. Aliás, só para dar uma idéia melhor de como a coisa toda é, imagine a Inglaterra, mas do tamanho das 3 Américas, mas mais estreita. Pronto: você sabe como Westeros é.

Ao norte de Winterfell existe uma região inexplorada, separada dos Sete Reinos por uma colossal muralha de gelo chamada de…The Wall. Lá os membros da Night’s Watch vigiam dia e noite para impedir as ameaças que podem vir daquela terra. Infelizmente, é um grupo que antes fora grandioso e agora se encontra em decadência.

Além deste continente, há um outro a leste. Infelizmente não há nenhuma descrição específica, mas aparentemente é gigantesco e lar de vários povos bárbaros.

Ah sim, um detalhe interessante que parece desnecessário, mas é importante: invernos e verões duram anos neste mundo. Quando o livro começa (e isso segue até o final da saga aparentemente), um dos verões mais longos que já houveram está para terminar. Após 9 longos anos o inverno se aproxima, e a população precisa se preparar. E não é só isso: uma ameaça do norte se aproxima também, e ninguém está preparado para isso. Estão todos preocupados jogando seus jogos de poder (daí o título do livro) para prestar atenção.

Enfim, com isso em mente podemos ter uma idéia melhor de quem são os personagens e como eles funcionam. O livro começa com Will, um soldado da Night‘s Watch vendo algo que o amedronta até a alma. É apenas um personagem para o prólogo, e após a breve apresentação do que se esconde no norte, começamos com os personagens principais: Eddard Stark, lorde de Winterfell; Catelyn Stark, sua esposa; Sansa Stark, a filha mais velha deles; Arya Stark, a filha mais nova; Bran Stark, o filho do meio de três (5 filhos no total, 2 mulheres e 3 homens); Jon Snow, o filho bastardo de Eddard; Tyrion Lannister, o irmão deformado da rainha Cersei; e Daenerys Targaryen, a última filha de um rei deposto.

Claro que a trama tem muitos mais personagens envolvidos, todos cumprindo um papel importante para o desenvolvimento da história, mas vemos isso através do ponto destes personagens já citados.

Começamos com a história acompanhando Will vendo algo que ninguém acredita ainda existir, e em seguida fugindo para o sul, abandonando seu posto na muralha The Wall. Considerado um traidor, é executado por Eddard Stark, que ao retornar para Winterfell com seus filhos, encontra 6 filhotes de direwolf, uma criatura comum em histórias de fantasia (mas que viveu no mesmo período que os tigres dentes-de-sabre no nosso mundo, sendo maiores e mais fortes que lobos comuns). Tomando como uma espécie de profecia, Jon Snow convence Eddard Stark a pegar os filhotes e deixar que seus filhos os criem, pois o símbolo da família Stark é…adivinhem, um direwolf. E acreditem, direwolfs são gigantes, assutadores e selvagens, não eram vistos a mais de 300 anos, causando medo e receio por onde passam com seus donos. E claro, tem um papel muito importante na história.

Enfim, após isso Eddard Stark recebe a visita de Robert Barantheon, o rei (e velho companheiro de batalha). É partir dai que toda trama começa a de fato acontecer, se dividindo em alguns locais principais: The Wall, King’s Landing (a cidade-capital do império) e algumas localidades do continente a leste (envolvendo Daenerys Targaryen). Fora isso boa parte da trama também ocorre em Winterfell e algumas outras cidades próximas a King’s Landing.

Eu digo que o livro é uma novela mexicana pelo simples fato de que muita coisa (ou quase tudo) do que acontece envolve traição, enganação, coerção, manipulação e blablabla. Porém, diferente de uma verdadeira novela mexicana, há um certo tom épico em cada cena, algo inspirador que te faz querer continuar lendo. Também tem o fato de que nada acontece por acaso, e como a história é contada do ponto de vista dos personagens, só conseguimos entender tudo quando eles entendem também, predendo nosso interesse.

Claro, existem cenas épicas também, coisas que te fazem parar de ler e falar “CARALHO! Como isso é FODA!”

Recomendo a leitura para todos que gostam do gênero de fantasia e sabem inglês. Prometo postar aqui caso eu tenha alguma notícia oficial sobre o lançamento de uma versão traduzida.

A Game of Thrones

Só de ver essa capa eu já fico com frio...

Ah, antes que eu me esqueça não existem: elfos, anões, orcs, magos (no sentido tradicional da palavra), paladinos, clérigos (não com poderes ao menos), etc etc etc. Ou seja, é um mundo low-fantasy, parecido com…Conan, digamos. E seu escritor se chama George R. R. Martin.

Loke, escritor-músico-interpréte amador e vagabundo profissional pretende usar a B.U.N.D.A. para divulgar o blog onde publica seus contos, o Tales of the Underworld, que está sem atualizações devido a um projeto de fantasia que começou recentemente. Ele espera não ser xingado demais por recomendar um livro em um post gigantesco que atualmente só está disponível para compra em inglês…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: